Eis minha poesia. Toma, agora é tua!

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

do mato


mas eu sou
mais rio que mar
mais riso ao luar
mais rima ao amar

eu sou do interior
do meu interior
do interior do amor
do verbo amar

eu rio
do mar
eu, rio
do mar
rimo
amar
no mato
eu sou de lá

uma cachoeira
sem eira
nem beira
rimando
besteira

sem preconceito
do rio
doce
do mar
salgado
do interior
da capital
do mato
eu sou de lá

eu sou do mato
eu sou o interior
nós somos o interior

Matheus Matos