Eis minha poesia. Toma, agora é tua!

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Eu sonhei com uma poesia.

Eu sonhei com uma poesia.
Ela dizia sobre a fome das crianças 
e dos miseráveis,
da ganância dos ricos e infelizes.
Dizia sobre a tristeza dos que tem sede e choram.

Eu sonhei com uma poesia e ela era triste. 
Eu queria acordar pra escrevê-la, 
mas minha mente não deixava. 
Ela preferiu que eu a visse, 
e eu vi, 
e ela era triste, 
tão triste, 
que fiz questão de esquecê-la.

Porque
quem tem fome
e sede
e sofre 
tem pressa.
Vive vagando no vale da morte
com sua lâmina afiada em seu pescoço.

E quem tem esses podres, 
infelizes, 
poderes
e controlam o sofrimento dos homens e das crianças,
tem a maldade em si.

Matheus Matos