Eis minha poesia. Toma, agora é tua!

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Tão longe, tão perto

Cresce a dor da ausência,
diminui a dor da invasão.
Uma sempre maior que a outra.

É que estar longe
deixa tudo tão longe
e às vezes estar perto
é estar perto demais.

Tão longe,
tão perto.
Incerto.

Não há balança para sentimentos.
E os sofrimentos?
São iguais?

Matheus Matos