Eis minha poesia. Toma, agora é tua!

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

arte factus


sorriso solto,
amarelo,
escandaloso,
indecente.

quem carrega alegria assim
carrega um peso.
alegria em demasia pode ser
desespero.

e se for apenas carinho,
carência,
influência das saudades?
e se for apenas
artefatos da idade?

Não é.

Matheus Matos

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Consciência ou não

Vi quem foi,
vi sendo ser.
E tu estavas ali.

De tudo, me resta
a alegria de saber
que, nesse mundo de incertezas,
felizes somos nós os poetas
regando a vida com sentimentos,
com ciência ou não.

A ciência é essa coisa certa,
às vezes, exata,
às vezes, complexa,
às vezes, chata.

Às vezes, a gente quer
mais vezes, às vezes, não.
Às vezes, falta ar,
às vezes, imaginação.
Às vezes, o que a gente quer
é paz no coração.

Matheus Matos

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

flor do mandacaru


Esconder-se como botão de flor
que irá brotar
protege a beleza das pétalas
que virão.

Há dias que flores não nascem,
há dias que vão brotar,
mas sempre aparecerão.

É na seca e na escura noite
que brota a flor do mandacaru
no meu sertão.

Entre espinhos e tanto infortúnio
ainda desabrocham na noite,
murcham de dia,
e caem no chão.

Cabe a nós ver que há
uma flor se formando naquele botão.

Matheus Matos
(para a amiga poeta Ivezinha, flor que nos presenteia
http://blogdaivezinha.blogspot.com.br/2013/09/eu.html)

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Ipê Branco

Créditos da Imagem: http://caminhospagao.blogspot.com.br/2011/06/ipesbrasil.html

consome a noite
as incertezas

com toda sua beleza
o dia ainda é mais frio.

no escuro e no vazio
é que ele acha a solução,
mas o amor
não está no sótão.

a cena finda,
ciclo eterno.

ipês brancos pintam
seus pés no chão.
pintura:
a textura é a tristeza,
a obra prima
é a solidão.


Matheus Matos

sábado, 7 de setembro de 2013

Modernidade


e nossa vida?
Essa que passou.
quem se aproveitou?
quem me aproveitou?

e esse virus?
Esse que matou
toda nossa essência,
todo o nosso amor.

Modernidade.

Matheus Matos
(Pensando em https://www.facebook.com/photo.php?v=581212681940969&set=vb.283052288455993&type=2&theater)

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Parasita


Já tenho memória fraca,
não aprendo coisas novas
e nem falo coisas úteis.
Já não tenho o peso das palavras.

Percorro uma linha ténue
separando paixão e loucura.
Agora sou bom em babaquices.

Vivo iludido com finais,
temerosos finais,
pesadelos constantes em noites mal dormidas.
Tiro a máscara e não me vejo, vejo a máscara
enraizada, furtiva.
Como se livrar das feridas?

-Essa é a máscara que vive em tua face?
-Sim, ela é quem vive em mim, mas eu que sou o
parasita.

Matheus Matos

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Agosto

http://vidamigosamores.blogspot.com.br/2013/08/agosto.html
Posted by MINHA VIDA, MEUS AMIGOS E MEUS AMORES. on Sábado, 1 de agosto de 2015


Já é agosto
e tudo começa outra vez.

Vento frio,
um suspiro,
um arrepio,
um talvez.

Matheus Matos

sábado, 20 de julho de 2013

Haicai?


Amigos crescem juntos,
amigos não se separam,
Eternamente fadados às lembranças.

Matheus Matos

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Me vendo passar

São só pensamentos soltos
não é poesia.
São só esses anos todos
não é minha mania.

A gente se acostuma com
música calma.
A gente entrega nossa alma.
E tudo é sobre amor.
Todo esse esplendor que
não se esvai.

E ela me pergunta se algo mudou.
Ora meu bem, entre nós tudo é eterno.
Deixa só eu tirar esse terno
que nunca me caiu bem.

Ora meu amor, nossos filhos saberão,
mas deixa o tempo chegar.
Eu sei, eu sei,
ás vezes perco ele
me vendo passar.

Matheus Matos

terça-feira, 16 de julho de 2013

Já é tarde

http://vidamigosamores.blogspot.com.br/2013/07/sobra-sempre-esse-vazio-no-fim-da-tarde.html
Posted by MINHA VIDA, MEUS AMIGOS E MEUS AMORES. on Domingo, 4 de outubro de 2015



Sobra sempre esse vazio
no fim da tarde.
No fim já é tarde
recomeçar.


Matheus Matos

segunda-feira, 15 de julho de 2013


Mente cheia
e mente vazia
ando muito
sem poesia.

Matheus Matos
(via Leminski)

sábado, 6 de julho de 2013

Dom Quixote e o menino




Uma criança brinca no meio da guerra
violentada pelas circunstâncias do tempo, 
ela brinca. 

Brinca de Dom Quixote de La Mancha,
com Rocinante e mais um cavalo,
sem Sancho Pança,
ela brinca.

Brinca de enfrentar o medo,
sem nem saber ser ingênuo 
fuma lacrimogêneo e
encara o fogo,
ela brinca.

Brinca de esperanças.


sábado, 22 de junho de 2013

Todos os dias


Escrevo poesias todos os dias
nas minhas caminhadas, mas elas
nem sempre vão pro
papel.

Às vezes pedaços poéticos de mim
estão por ai espalhados por meus passos
e eu nem posso ver.
São dias turvos e eu nem posso escrever.

O que me resta
são demonstrações de amor entre letras
e pensamentos perdidos.

Matheus Matos
(créditos da imagem: http://kdimagens.com/imagem/a-vida-comeca-todos-os-dias-erico-verissimo-1320)

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Eu corro porque

Eu corro porque 
se eu vou na esteira 
controlo meu ritmo 
de qualquer maneira. 

Se corro na rua, 
olhando pra lua, 
eu quero alcançá-la. 

Se tô na areia, 
correndo na praia, 
eu ouço a sereia do canto sereno, 
mas saio correndo buscando meu ar. 

Se vou devagar, 
encontro velhinhos falando do mar. 
Simplesmente correndo.

Matheus Matos
(poesia para promoção da Mizuno Creation 14: 14 motivos pra correr)

sábado, 30 de março de 2013

Abraços

Liniers
http://pt.wikipedia.org/wiki/Liniers_(artista)

Há braços
que são laços:
libertam.
Abraços que
fazem flutuar.

Meus braços
são caminhos solitários
em busca de ti.

Matheus Matos


quinta-feira, 14 de março de 2013

14 de março - Dia, Poesia!





A poesia não morre jamais. Ela se transforma com o tempo nos pensamentos das pessoas, nas suas querências e anseios. Poesia é o que aprendi de bom na vida, e fica pra sempre. Inda hei de escrever sobre tudo nessa vida, desde de meus momentos sacros às minhas indagações sobre o universo. E isso é que me faz seguir. Derramar meus sentimentos em palavras jogadas ao vento, tomando rumo, despertando os sentidos, vasculhando as lembranças, vislumbrando o sorriso. Poesia é tudo isso e mais um pouco em minha vida. Uma lágrima que escorre em letras, um sorriso eternizado em versos. E a perpetuação infinita do amor!! O amor!!!

Matheus Matos

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Tão longe, tão perto

Cresce a dor da ausência,
diminui a dor da invasão.
Uma sempre maior que a outra.

É que estar longe
deixa tudo tão longe
e às vezes estar perto
é estar perto demais.

Tão longe,
tão perto.
Incerto.

Não há balança para sentimentos.
E os sofrimentos?
São iguais?

Matheus Matos