Eis minha poesia. Toma, agora é tua!

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Procrastinatus

Sou errante, eu sei.
Procrastino com o tempo
buscando sanidade nas minhas ações,
jogo palavras em versos monótonos
pra tentar determinar o realismo
desse momento que me aflige.

Sou voraz, eu sei.
Me alimento da falta que me faz
os momentos alegres de meu passado,
buscando nutrir idéias de um futuro igual,
me esquecendo que meu presente não tem mais
elo com esses tempos.

Sou poeta? Não sei.
Copulo com outras poesias
buscando as palavras que me faltam nesses versos,
e vejo que esse fluxo de letras se perderam em minhas
veias poéticas. Estou em um infarto.

Mas o que eu sei é justamente o que não me completa,
a dúvida no meu saber apenas me leva à frente
de amanhã.

E amanhã é outro dia.

Matheus Matos